Se voce tiver alguma sugestão e/ou reclamação, por favor, envie um e-mail para: progmusicparadise@gmail.com
If you have any suggestions and/or complaints, please send an email to: progmusicparadise@gmail.com

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Paper Garden - Paper Garden - 1969 (Psychedelic Baroque Pop Rock {US})

Paper Garden foi uma banda de rock psicodélico americana formada na cidade de Nova York, em 1967. Após reunir um número considerável de seguidores no noroeste, o grupo gravou seu único álbum, "Paper Garden", em 1968, que promoveu vários estilos, desde a orquestração complexa a psicodelia de bordas duras. Após o seu lançamento, as gravações passaram a ser consideradas uma das declarações artísticas mais realizadas da era psicodélica.

Formada em 1967, Paper Garden consistia dos membros Joe Arduino (baixo, voz), Sandy Napoli (guitarra, teclados, cítara, vocal), Paul LoGrande (guitarra, vocal), Jimmy Tirella (bateria) e John Reich (teclados). Com talentos variados como multi-instrumentistas, três cantores capazes e compositores talentosos, a banda quase sem esforço conseguiu expandir os instrumentais complexos encontrados em "Revolver" e "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" da The Beatles.

Paper Garden percorreu toda a costa nordeste, estabelecendo vários grupos de seguidores nos campus de faculdades locais. Em 1968, o grupo despertou o interesse do produtor Geoff Turner, que trabalhava para a Musicor Records, de Aaron Schroeder, com sede em Nova York. Sob a suposição de que a banda gravaria o material que ele ouviu no palco, Turner assinou com Paper Garden um contrato de gravação, ambicioso para produzir um grupo que ele esperava estar na vanguarda da psicodelia.

Em vez de gravar o material de seu set ao vivo, a banda decidiu compor um novo conjunto de repertórios ambiciosos. O álbum era muito mais elaborado e caro do que Turner previa. No entanto, ele finalmente decidiu gravá-lo, com arranjos de orquestra de cordas, contribuições de trompetista, violinista e trombonista e harmonias vocais complexas. 

Após o lançamento do álbum, em maio de 1969, Paper Garden recebeu críticas positivas, mas sem uma única ou maior gravadora para apoiar a divulgação, o álbum foi um fracasso comercial.

Paper Garden se desfez ainda em 1969, e por um tempo seu álbum foi deixado na obscuridade. No entanto, em 2002, a Gear-Fab Records lançou uma versão remasterizada do álbum. Desde então, foi seguido por mais reedições na Relics Records, em 2012, e na Sundazed Records, em 2014. O reconhecimento renovado da Paper Garden levou muitos críticos de música a concluir que o álbum é uma peça bem executada da era psicodélica.

⭐⭐⭐⭐⭐

Paper Garden was an American psychedelic rock band formed in New York City in 1967. After gathering a considerable following in the northwest, the group recorded their only album, "Paper Garden" in 1968, which has promoted a variety of styles since the complex orchestration the hard-edged psychedelia. After its release, the recordings became considered one of the most accomplished artistic statements of the psychedelic era.

Formed in 1967, Paper Garden consisted of members Joe Arduino (bass, vocals), Sandy Napoli (guitar, keyboards, zither, vocals), Paul LoGrande (guitar, vocals), Jimmy Tirella (drums) and John Reich (keyboards). With varied talents as multi-instrumentalists, three capable singers and talented songwriters, the band effortlessly managed to expand the complex instrumentals found in The Beatles' "Revolver" and "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band."

Paper Garden traveled the entire northeastern coast, establishing various groups of followers on local college campuses. In 1968, the group sparked the interest of producer Geoff Turner, who worked for New York-based Aaron Schroeder's Musicor Records. Under the assumption that the band would record the material he heard on stage, Turner signed a paper contract with Paper Garden, ambitious to produce a group he hoped to be at the forefront of psychedelia.

Instead of recording material from their live set, the band decided to compose a new set of ambitious repertoires. The album was much more elaborate and expensive than Turner anticipated. However, he finally decided to record it, with string orchestra arrangements, trumpeter, violinist and trombonist contributions, and complex vocal harmonies.

Following the release of the album in May 1969, Paper Garden received positive reviews, but without a single or larger label to support the promotion, the album was a commercial failure.

Paper Garden disbanded still in 1969, and for a while his album was left in the dark. However, in 2002, Gear-Fab Records released a remastered version of the album. Since then, it has been followed by more reissues at Relics Records in 2012 and Sundazed Records in 2014. Renewed recognition by Paper Garden has led many music critics to conclude that the album is a well-executed piece of the psychedelic era.

Membros
Joe Arduino - baixo, voz
Sandy Napoli - guitarra, teclados, cítara, vocal
Paul LoGrande - guitarra, vocal
Jimmy Tirella - bateria
John Reich - teclados

01. Gypsy wine
02. Sunshine people
03. Way up high
04. Lady's man
05. Mr. Mortimer
06. Man do you
07. Raining
08. I hide
09. Raven
10. A day

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Paper Garden - Gypsy wine - 1969
Paper Garden - Man do you - 1969
Paper Garden - Raven - 1969

Five Man Electrical Band (Hard/Classic Rock {Canadá})

Five Man Electrical Band (originalmente conhecida como The Staccatos de 1963–68)
foi uma banda de rock canadense de Ottawa, Ontário. Ela teve muitos sucessos no Canadá,
incluindo as canções Top 10 "Half past midnight" (1967) (como The Staccatos),
"Absolutely right" (1971) e "I'm a stranger here" (1972).
Internacionalmente, ela é mais conhecida
por seu single de sucesso de 1971, "Signs".

HISTÓRIA

THE STACCATOS (1963-68)

A banda The Staccatos foi formada em Ottawa em 1963. Inicialmente, incluía o cantor Dean Hagopian, o guitarrista Vern Craig, o baixista Brian Rading e o cantor/baterista Rick Bell (nascido em Rick Belanger). Hagopian partiu depois de cerca de um ano e foi substituído pelo vocalista e guitarrista Les Emmerson, que se tornaria o compositor principal da banda, enquanto Bell e Emmerson dividiram as funções vocais principais.

The Staccatos fez sua estréia em uma gravadora em 1965, com seus primeiros singles sendo escritos pela equipe de Craig e Emmerson. Depois de lançar um single não-gravado em uma pequena gravadora independente, o grupo assinou com a Capitol Records do Canadá, e seu segundo single, "Small town girl", chegou ao top 20. canadense. Vários seguidores também alcançaram o top 40 , e The Staccatos eram estrelas em ascensão em seu país natal. O álbum de estréia, "Initially", saiu em 1966 e contou com seus sucessos até esse ponto, além de várias novas gravações.

No verão de 1966, Mike Bell (irmão de Rick) se juntou ao grupo como segundo baterista e terceiro vocalista. Pouco tempo depois, o grupo teve seu maior sucesso até hoje com "Half past midnight", que subiu para o 8º lugar nas paradas canadenses. Este foi o segundo single da The Staccatos escrito exclusivamente por Emmerson, que a essa altura estava escrevendo a maior parte do material original da banda. Também em 1967, a The Staccatos lançou um álbum conjunto com a The Guess Who, cada banda ocupando um lado do LP.

Os acompanhamentos da The Staccatos para "Half past midnight" não tiveram tanto sucesso no Canadá. Nos EUA, a situação era pior - os singles da banda (lançados pela Capitol e Tower) não conseguiram chegar às paradas. Procurando uma nova direção, no final de 1968, Ted Gerow foi adicionado à linha de teclados e, pouco tempo depois, Vern Craig saiu. Na mesma época, enquanto gravava seu segundo álbum completo, a banda foi convidada a mudar de nome pelo comentário do produtor Nick Venet de que o nome The Staccatos parecia "datado". Depois de discutir várias possibilidades, o baixista Rading pegou uma música que Emmerson havia escrito chamada "Five man electrical band", alegando que era exatamente isso que o grupo era. O nome da banda foi devidamente alterado, e a Five Man Electrical Band lançou seu álbum auto-intitulado no início de 1969.

RENASCIMENTO COMO FIVE MAN ELECTRICAL BAND (1969-75)

O novo single do grupo "It never rains on Maple Lane" com o lado B "Private train" foi um sucesso leve no Canadá; o lado A apareceu em # 67 nas paradas, mas depois de duas semanas nas paradas, o single foi virado e a "Private train" do lado B chegou ao top 40, chegando ao 37º lugar. O álbum, enquanto isso, continha uma mistura de material novo e gravações mais antigas, originalmente lançadas como The Staccatos (incluindo "Half past midnight") e teve o mesmo sucesso no Canadá. Falha no acompanhamento dos singles de acompanhamento. No final de 1969, a banda encerrou seu relacionamento com o Capitol e assinou com a MGM Records.

Os dois primeiros singles da banda na MGM (lançado em 1970) foram lançados em meados dos anos 50 no Canadá. O álbum de 1970 do grupo "Good-byes and butterflies" criou uma pequena controvérsia com uma foto da capa que mostrava uma planta de maconha. O álbum foi retirado e posteriormente reeditado com uma nova capa.

Em 1971, a banda teve seu primeiro sucesso internacional quando sua gravadora relançou o segundo single da MGM "Hello Melinda, goodbye/Signs", originalmente gravado em Los Angeles, com os lados invertidos. Os disc jockeys e o público imediatamente entraram no "Signs" (escrito por Les Emmerson) - alcançou o 4º lugar no Canadá, o 3º lugar na Billboard Hot 100 dos EUA e foi para o 1º lugar na Austrália por quase dois meses. Ele vendeu mais de um milhão de cópias e foi premiado com um disco de ouro pela R.I.A.A. em agosto de 1971.

Nos anos seguintes, vários singles foram lançados: "Absolutely right", "Money back guarantee", "Werewolf", "I’m a stranger here e vários outros, todos escritos por Emmerson. Fora do Canadá, a maioria destes foram sucessos menores, mas a banda continuou com um fluxo constante de lançamentos e datas de shows. Em 1972, a banda lançou "Coming of age", seu terceiro álbum como Five Man Electrical Band. Emmerson, que estava mais interessado em gravar no estúdio do que em tocar ao vivo, também estabeleceu uma carreira solo paralela em 1972.

Mike Bell, agora apelidado de Michael Belanger, deixou o grupo no meio da gravação de seu álbum de 1973 "Sweet paradise", e o baixista Brian Rading saiu no momento em que o álbum estava sendo finalizado. O álbum produziu vários singles de sucesso, incluindo "I'm a stranger here", o maior hit de todos os tempos no Canadá. Emmerson, Gerow e Rick Belanger tentaram manter o ritmo com os novos jogadores por um tempo, produzindo singles em 1974 e '75, com um sucesso mínimo nas paradas fora do Canadá.

Rick Belanger deixou o grupo em 1974, deixando Emmerson e Gerow como os únicos membros permanentes permanentes da Five Man Electrical Band. Pouco tempo depois, quando "Johnny get a gun", de 1975, atingiu o nível 69 no Canadá, Emmerson e Gerow decidiram dissolver a Five Electrical Band.

REUNIÕES E ATIVIDADES RECENTES

Em 1986, Emmerson reformou a banda para uma série de shows e festivais, e continuou em turnê com eles nas décadas seguintes. A banda normalmente toca alguns shows por ano e agora se apresenta como um sexteto: Les Emmerson (guitarra, vocal), Ted Gerow (teclados), Brian Sim (guitarra), Rick Smithers (baixo), Steve Hollingworth (bateria, vocais) e Mike Belanger (bateria, vocais).

Emmerson também manteve os direitos sobre as gravações da banda e licenciou várias compilações "best-of" em CD.

Tesla marcou um sucesso com um cover da música "Signs" em seu álbum "Five Man acoustical jam" nos anos 90. Mais recentemente, Fatboy Slim lançou um single de 2005 chamado "Don't let the man get you down", baseado principalmente em uma amostra em loop de "Signs" - especificamente a linha de abertura "And the sign said long haired freaky people need not apply".

Brian Rading, baixista e membro fundador, morreu em 8 de junho de 2016 por causas naturais em sua casa em Hull, Quebec, depois de alguns anos de batalha contra o câncer de garganta. Ele tinha 69 anos.

⭐⭐⭐⭐⭐

Five Man Electrical Band (originally known as The Staccatos from 1963–68)
was a Canadian rock band from Ottawa, Ontario. It had many hits in Canada,
including the top 10 songs "Half past midnight" (1967) (as The Staccatos),
"Absolutely right" (1971) and "I'm a stranger here" (1972).
Internationally, it is best known for its 1971 hit single "Signs".

STORY

THE STACCATOS (1963-68)

The band The Staccatos was formed in Ottawa in 1963. It initially included singer Dean Hagopian, guitarist Vern Craig, bass player Brian Rading and singer/drummer Rick Bell (born Rick Belanger). Hagopian left after about a year, and was replaced by vocalist and guitarist Les Emmerson, who would become the band's prime songwriter, while Bell and Emmerson split lead vocal duties.

The Staccatos made their debut as a recording act in 1965, with their early singles being written by the team of Craig and Emmerson. After releasing a non-charting single on a small independent label, the group signed to Capitol Records of Canada, and their second single, "Small town girl", made it into the Canadian top 20. Several follow-ups also cracked the top 40, and The Staccatos were rising stars in their native country. Their debut album, "Initially", came out in 1966, and featured their hits to that point as well as several new recordings.

In the summer of 1966, Mike Bell (Rick's brother) joined the group as a second drummer and third vocalist. Shortly thereafter, the group had their biggest hit to date with "Half past midnight", which rose to #8 on the Canadian charts. This was the second The Staccatos' single written solely by Emmerson, who by this point was writing most of the band's original material. Also in 1967, The Staccatos issued a joint album with The Guess Who, each band taking up one side of the LP.

The Staccatos follow-ups to "Half past midnight" did not meet with as much success in Canada. In the US, the situation was worse – the band's singles (released by Capitol and Tower) failed to chart at all. Looking for a new direction, at the end of 1968, Ted Gerow was added to the line-up on keyboards, and shortly thereafter, Vern Craig left. Around the same time, while recording their second full album, the band was prompted to change their name by producer Nick Venet's comment that the name The Staccatos sounded "dated". After discussing various possibilities, bassist Rading seized upon a song Emmerson had written called "Five man electrical band", claiming that's exactly what the group was. The band's name was duly changed, and Five Man Electrical Band released their self-titled album in early 1969.

REBIRTH AS FIVE MAN ELECTRICAL BAND (1969-75)

The group's new single "It never rains on Maple Lane" with B side "Private train" was a mild success in Canada. The A-side appeared at #67 on the charts, but after two weeks on the charts the single was flipped over and B-side "Private train" made it into the top 40, peaking at #37. Their album, meanwhile, contained a mixture of new material and older recordings originally released as by The Staccatos (including "Half past midnight") and was similarly successful in Canada. Follow-up singles failed to chart. At the end of 1969, the band ended their relationship with Capitol and signed with MGM Records.

The band's first two singles on MGM (released in 1970) both charted in the mid-50s in Canada. The group's 1970 album "Good-byes and butterflies" created a minor controversy with a front cover picture that featured a marijuana plant. The album was withdrawn and subsequently reissued with a new cover.

In 1971, the band had their first international success when their label reissued the second MGM single "Hello Melinda, goodbye/Signs", originally recorded in Los Angeles, with the sides reversed. The disc jockeys and the public immediately took to "Signs" (written by Les Emmerson) - it reached #4 in Canada, #3 on the US Billboard Hot 100, and went to #1 in Australia for nearly two months. It sold over one million copies, and was awarded a gold disc by the R.I.A.A. in August 1971.

In the next few years a number of charting singles were released: "Absolutely right", "Money back guarantee", "Werewolf", "I’m a stranger here" and several others, all written by Emmerson. Outside of Canada, most of these were minor hits, but the band continued with a steady flow of releases and concert dates. In 1972, the band issued "Coming of age", their third album as Five Man Electrical Band. Emmerson, who was more interested in recording in the studio than in playing live, also established a parallel solo career in 1972.

Mike Bell, now going by his birth name of Michael Belanger, left the group partway through the recording of their 1973 album "Sweet paradise", and bassist Brian Rading left just as the album was being finished. The album produced several hit singles, including "I'm a stranger here", their highest-ever charting hit in Canada. Emmerson, Gerow and Rick Belanger attempted to keep things going with new players for a time, producing singles in 1974 and '75, with minimal chart success outside of Canada.

Rick Belanger left the group in 1974, leaving Emmerson and Gerow as the only remaining permanent members of the Five Man Electrical Band. Shortly thereafter, when 1975's "Johnny get a gun" peaked at a lowly #69 in Canada, Emmerson and Gerow decided to disband the Five Man Electrical Band.

REUNIONS AND RECENT ACTIVITIES

In 1986, Emmerson reformed the band for a series of concert and festival appearances, and continued to tour with them over the following decades. The band typically plays a few shows a year, and now performs as a sextet: Les Emmerson (guitar, lead vocals), Ted Gerow (keyboards), Brian Sim (lead guitar), Rick Smithers (bass), Steve Hollingworth (drums, vocals) and Mike Belanger (drums, vocals).

Emmerson has also retained the rights to the band's recordings, and has licensed several 'best-of' compilations on CD.

Tesla scored a hit with a cover of the song "Signs" on their album "Five Man acoustical jam" in the 1990s. More recently, Fatboy Slim released a 2005 single called "Don't let the man get you down", based mostly off a looped sample from "Signs" – specifically the opening line: "And the sign said long haired freaky people need not apply".

Brian Rading, bassist and founding member, died on 8 June 2016 of natural causes at his home in Hull, Quebec, after a few-years long battle with throat cancer. He was 69.

Membros
Álbum "Coming of age"
Ted Gerow - teclados
Brian Rading - baixo
Rick "Bell" Belanger - bateria
Les Emmerson - vocal, guitarra
Mike "Bell" Belanger - segunda bateria
Álbum
"Absolutely right: The best of Five Man Electrical Band"
(além dos membros já citados)
Steve Hollingworth - vocais, bateria
Rick Smithers - baixo
Brian Sim - guitarra
Convidados
Wes Reed - percussão
J. Murray Davison - bateria



ALBUMS

Coming of age (1971)
01. Coming of age
02. Find the one
03. Absolutely right
04. Country girl:
a) Country girl of mine
b) The devil and Miss Lucy
c) She used to be my woman
05. Julianna
06. Friends & family
07. Isn't it a long hard road
08. Me & Harley Davidson
09. Wholle lotta heavy (reprise)

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Absolutely right:
The best of Five Man Electrical Band (1995)

01. Signs (LP version)
02. Dance of the swamp woman
03. Hello Melinda, goodbye
04. Moonshine (Friend of mine)
05. The man with the horse and wagon
06. Absolutely right
07. Coming of age
08. Country girl suite
09. Julianna
10. I'm a stranger here (LP version)
11. We play rock 'n roll
12. Money back guarantee
13. Werewolf
14. Signs (single version)
15. I'm a stranger here (single version)

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Link para o download dos 2 albums: enjoy!

Five Man Electrical Band - Coming of age - 1971 (full album)

domingo, 20 de outubro de 2019

We all Together (Psychedelic Pop Rock {Perú})

We all Together foi uma banda de pop rock peruana formada em 1971, em Lima.
O grupo foi inspirado em The Beatles e na carreira solo de Paul McCartney, no entanto,
algo que chama sua atenção é a semelhança do vocalista Carlos Guerrero com Paul McCartney.
O grupo teve muitos seguidores e shows, desfrutando de grande popularidade nos anos 70,
apesar de o governo já ter proibido o rock no Perú - paradoxalmente, nesta década,
seria o local onde as maiores jóias do rock latino-americano seriam encontradas.

HISTÓRIA

Formada em 1971 em Lima, a banda era composta inicialmente por Carlos Guerrero (voz), Saúl Cornejo (guitarra), Ernesto Samamé (baixo), Carlos Salom (órgão) e Manuel Cornejo (bateria). O grupo nasceu sem nome, no meio das sessões de gravação no estúdio MAG, de propriedade do pai de Carlos Guerrero. Todos os membros, com exceção de Carlos Guerrero, vieram do grupo Laghonia, Carlos participou com eles na gravação e na apresentação de coros de seu último trabalho, "Etcetera".

A banda fez um álbum praticamente anônimo, cantado em inglês, que era a moda da época. O álbum de estréia do então quinteto foi chamado "We all Together" (1972). Ele incluiu versões de "Carry on till tomorrow" e "Walk out in the rain", da banda britânica Badfinger, "Some people never know" e "Tomorrow" de Paul McCartney, além de seis músicas próprias.

A música da We all Together foi colocada nas preferências das estações de rádio de Lima e vendeu muitas cópias naquele ano. Apesar de cantar em inglês (como a maioria dos grupos peruanos da época) e de estar em pleno governo militar de Juan Velasco Alvarado, ela foi declarada a melhor banda nacional de pop rock do INC, graças à sua música "Hey revolution", cover do tema "Revolution 1" da The Beatles.

No segundo álbum, houve uma mudança de tecladista e baixista, Carlos Salom sendo substituído por Felix Varvarande e Ernesto Samamé por Braulio Vivanco. O grupo continuou a cantar em inglês, mas a novidade do álbum era que todas as músicas eram de autoria da banda, tornando seu estilo mais evidente e onde músicas como "Ozzy" e "Persons and faces" se destacavam.

Houve um terceiro trabalho lançado no formato mini-LP , que incluiu sua primeira música em espanhol, que imediatamente se tornou um sucesso. A música se tornou um marco, não apenas para o Rock peruano, mas para a música peruana em geral. Em 1974, a banda se separou.

RETORNO

Em 1989 , após 15 anos, ela retomou às atividades. Inicialmente, a proposta era reunir os cinco membros originais, mas os irmãos Cornejo desistiram do projeto e retornaram ao campo como um trio (Guerrero, Samamé e Varvarande), com o apoio de músicos na guitarra e bateria. Diferentemente do primeiro período, durante o qual ela se dedicou exclusivamente à gravação e realizou apenas um grande concerto, desde aquele ano a banda realizou várias apresentações em todo o país.

Ela gravou o álbum "1990, la década", onde ela deixou uma grande influência do pop rock britânico pós-Beatles. O álbum de retorno foi seguido por uma série de trabalhos em discos, onde os mais relevantes foram "Cincuenta/cincuenta" e "Quédate". A formação na época era composta por Carlos Guerrero, Ernesto Samamé, Felix Varvarande, Carlos Pacheco e Chayo Saldarriaga. Apesar das mudanças e tragédias, a We all Together permaneceu em vigor.

Como qualquer grupo de vanguarda, em suas pesquisas musicais, seu estilo sofreu uma mudança e, no álbum "Pa' todo el mundo" (1994), a banda explorou mambo, bolero, socca e soul latino, que não tiveram o efeito esperado e, além da falta de convicção de si mesmos, isto levou os seguidores do estilo clássico da banda a deixarem-na.

Após algumas compilações e alguns trabalhos tentando retomar a onda melódica do grupo, foi gravado "Aliteraciones" (1998), no qual a banda fez música romântica com arranjos de violoncelo e violino, tentando retornar às origens.

Depois disso, o grupo fez outra pausa, mas não por muito tempo, e juntou-se novamente em 2001, com Guerrero e Samamé, do grupo original, junto com Carlos Pacheco, o guitarrista que o acompanha desde 1990. Félix Varvarande deixou a We all Together por motivos de saúde.

Em março de 2006, a We all Together sofreu sua maior perda, quando Ernesto Samamé, baixista original, grande arranjador e amigo, morreu vítima de câncer, deixando um vazio inexplicável, mas uma marca indelével. Nessa fase, Guerrero e Samamé, estavam trabalhando em alguns projetos da banda, para os próximos anos. De tudo isso, existem algumas músicas gravadas em faixas e alguns vídeos editados postumamente. Na versão atual da We all Together, a vaga deixada por Ernesto foi preenchida por seu filho Eduardo.

Em meados de 2007, depois de trinta anos, três de seus membros originais (Carlos Guerrero, Manuel Cornejo e Saúl Cornejo) reentraram juntos nos estúdios de gravação para a produção de um novo álbum, que levou quase um ano para sua realização. O título do álbum seria "Back together". O material estava programado para entrar no mercado em meados de maio de 2008, mas, por diferentes razões, foi adiado.

Finalmente, em julho de 2009, lançaram o álbum sob o título de "Surprise", com o selo americano independente Soho Records, onde mais uma vez demonstram sua qualidade, destacando-se o tema "Sara".

Em janeiro de 2011, a banda comemorou 40 anos de formação e decidiu fazer um concerto de despedida celebrando todos esses anos fazendo música, e, tendo como convidados as bandas nacionais Telegraph Avenue e todos os amigos do grupo.

⭐⭐⭐⭐⭐

We all Together was a Peruvian pop rock band formed in 1971 in Lima.
The group was inspired by The Beatles and Paul McCartney's solo career, however,
something that catches his eye is the similarity of singer Carlos Guerrero to Paul McCartney.
The group had many followers and shows, enjoying wide popularity in the 1970s, although
the government already banned rock music in Peru - paradoxically, on this decade
would be where the greatest gems of Latin American rock would be found.

STORY

Formed in 1971 in Lima, the band was initially composed of Carlos Guerrero (voice), Saúl Cornejo (guitar), Ernesto Samamé (bass), Carlos Salom (organ) and Manuel Cornejo (drums). The group was born without a name, in the middle of recording sessions at the MAG studio, owned by Carlos Guerrero's father. All members except Carlos Guerrero came from the Laghonia group, Carlos participated with them in recording and performing choirs for his latest work, "Etcetera".

The band made a virtually anonymous album, sung in English, which was the fashion of the time. The quintet's debut album was called "We all Together" (1972). It included versions of Badfinger's "Carry on till tomorrow" and "Walk out in the rain", Paul McCartney's "Some people never know" and "Tomorrow" as well as six songs of their own.

We all Together's music was placed in the preference of Lima radio stations and sold many copies that year. Despite singing in English (like most Peruvian groups of the time) and being in full military rule by Juan Velasco Alvarado, it was declared the best national pop rock band of INC, thanks to her song "Hey revolution", cover. from The Beatles' "Revolution 1" theme.

On the second album, there was a change of keyboardist and bassist, Carlos Salom being replaced by Felix Varvarande and Ernesto Samamé by Braulio Vivanco. The group continued to sing in English, but the novelty of the album was that all songs were by the band, making their style more evident and where songs like "Ozzy" and "Persons and faces" stood out.

There was a third work released in mini-LP format, which included his first song in Spanish, which immediately became a hit. Music has become a landmark, not just for Peruvian rock, but for Peruvian music in general. In 1974, the band broke up.

RETURN

In 1989, after 15 years, it resumed activities. Initially, the proposal was to bring together the original five members, but the Cornejo brothers gave up the project and returned to the field as a trio (Guerrero, Samamé and Varvarande), with the support of guitarists and drums. Unlike the first period, during which it devoted herself exclusively to recording and performed only one major concert, since that year the band has performed several performances across the country.

It recorded the album "1990, la década", where it left a major influence on post-Beatles British pop rock. The comeback album was followed by a series of album works, the most significant of which were "Cincuenta/cincuenta" and "Quédate". The lineup at the time consisted of Carlos Guerrero, Ernesto Samamé, Felix Varvarande, Carlos Pacheco and Chayo Saldarriaga. Despite the changes and tragedies, We all Together remained in force.

Like any avant-garde group, in their music research, their style underwent a change and, on the album "Pa 'todo el mundo" (1994), the band explored Latin mambo, bolero, socca and soul, which did not have the expected effect and In addition to their lack of self-belief, this led the band's classic style followers to leave it.

After some compilations and some works trying to resume the melodic wave of the group, was recorded "Aliteraciones" (1998), in which the band made romantic music with cello and violin arrangements, trying to return to the origins.

After that, the group took another break, but not for long, and reunited again in 2001 with Guerrero and Samamé from the original group, along with Carlos Pacheco, the guitarist who has been with him since 1990. Félix Varvarande left We all Together for health reasons.

In March 2006, We all Together suffered its biggest loss when Ernesto Samamé, original bassist, great arranger and friend, died of cancer, leaving an unexplained void but an indelible mark. At this stage, Guerrero and Samamé were working on some of the band's projects for the next few years. Of all this, there are some tracks recorded music and some posthumously edited videos. In the current version of We all Together, the vacancy left by Ernesto was filled by his son Eduardo.

In mid-2007, after thirty years, three of its original members (Carlos Guerrero, Manuel Cornejo and Saúl Cornejo) reentered the recording studios together for the production of a new album, which took almost a year to make. The album title would be "Back together". The material was scheduled to enter the market in mid-May 2008, but for different reasons was postponed.

Finally, in July 2009, they released the album under the title "Surprise" with the American independent label Soho Records, where they once again demonstrate their quality, highlighting the theme "Sara".

In January 2011, the band celebrated 40 years of formation and decided to do a farewell concert celebrating all these years making music, and having as guests the national bands Telegraph Avenue and all friends of the group.


ALBUMS

We all Together (1972)
01. Children
02. Young people
03. Carry on till tomorrow
04. It's a sin to go away
05. Tomorrow
06. Hey revolution
07. Walking in the rain
08. Why
09. Some people never know
10. The city will be a country

Membros
Carlos Guerrero - vocais
Saúl Cornejo - guitarra
Ernesto Samamé - baixo
Carlos Salomórgão, teclados
Manuel Cornejo - bateria

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

We all Together 2 (1974)
01. Persons and faces
02. Who knows
03. Little boy
04. Silly roadman
05. Cloudy night
06. Ozzy
07. Beautiful people
08. Follow me if you can
09. I'd like her to be mine
10. She's so sweet
11. Rock of all ages
12. Band on the run
13. Nadie me ama como tú
14. Together forever
15. It's us who say goodbye

Membros
Carlos Guerrero - vocais
Saúl Cornejo - guitarra
Braulio Vivanco - baixo
Felix Varvarande - órgão, teclados
Manuel Cornejo - bateria

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Singles  [1973-74] (2011)
01. Lo más grande que existe en el amor
02. Soy tímido
03. Symbol queen
04. We live too fast
05. Dear Sally
06. Nadie me ama como tú
07. Rock of all ages
08. She's so sweet
09. Everyday
10. She knows
11. Band on the run
12. Bluebird
13. Together forever

Mp3 320kbps and low quality full artworks: enjoy!

Link para o download dos 3 albums: enjoy!

We all Together - Hey revolution - 1972
We all Together - Some people never know1972
We all Together - Symbol queen1974
We all Together - Sarah - 2009

Madrugada (Progressive Rock {Itália})

Madrugada foi uma banda de rock progressivo formada em Bergamo, Itália,
em 1972 e composta por Gianfranco Pinto (teclados, vocais),
Pietro Rapelli (percussão) e Alessandro "Billy" Zanelli (baixo).

HISTÓRIA

Em 1972, Alessandro "Billy" Zanelli (I Fuchs, I Condor, Le Lunghe Storie e La Terza Classe), Gianfranco Pinto (Le Bugie e La Terza Classe) e Pietro Rapelli (Gruppo 3 e La Terza Classe) fundaram Madrugada. Sob a produção de Mauro Paoluzzi e Paki Canzi e com a supervisão de textos de Roberto Vecchioni, a banda gravou dois álbuns para Phonogram, com a gravadora Philips - o auto-intitulado "Madrugada" em 1974 e "Incastro" em 1976 (no qual a banda teve a colaboração de músicos como Gianluigi Trovesi, Lucio Fabbri, Luciano Ninzatti, Gianni Bertocchi e Silvia Annichiarico).

Naqueles anos, Madrugada se apresentou em festivais e encontros pop e concertos na área progressiva com a então editora e agência alternativa Trident Records de Angelo Carrara e Maurizio Salvadori e tocaram em festivais pop, eventos políticos e fábricas junto com Premiata Forneria Marconi, Banco del Mutuo Soccorso, Edoardo Bennato, Franco Battiato, Eugenio Finardi, Opus Avantra, Alberto Camerini, Jumbo, Aktuala e outros. Apoiando a batalha contra o aborto do Partito Radicale tocando no Palasport de Turim e Bolonha, eles se apresentam várias vezes na sede do jornal alternativo Re Nudo.

A banda teve sucesso na turnê a três com Claudio Rocchi e Biglietto per l'Inferno e depois, no verão de 1974, em turnê com a Area. A experiência dos shows com a banda de Demetrio Stratos influenciou a música do grupo que se concentrou mais no jazz-rock, determinando uma notável diferença estilística entre o primeiro e o segundo álbum publicado. A banda também fez uma apresentação com Kevin Ayers (um dos fundadores da banda de jazz-rock Soft Machine) em Lugano, Suíça.

Mesmo antes do lançamento de "Incastro", Madrugada fez colaborações no estúdio e em turnê com cantores como Roberto Vecchioni, Adriano Pappalardo, Riccardo Cocciante, I Nuovi Angeli, Patty Pravo, Enrico Nascimbeni, Lucas Sideras (ex-Aphrodite's Child) e participaram do álbum da banda Pangea (álbum "Invasori", de 1976, reeditado em 2007).

Porém, em 1977, com o advento do punk rock e a conseqüente extinção da onda progressiva, Madrugada finalmente se dissolveu. Zanelli (gravou um álbum com I Judas) e Rapelli deixaram a música depois de alguns anos, enquanto Pinto ainda continuou a atividade de músico, colaborando com muitos artistas italianos e internacionais, entre eles: Patty Pravo, Roberto Vecchioni, Adriano Pappalardo, Riccardo Fogli, Nada, Orietta Berti, Shout!, The Soul Busters Band, Gianna Nannini, Brian Auger e, no final dos anos 90, com o grupo progressista Perdio. Em 2006, o selo AMS/BTF reeditou os dois álbuns com faixas bonus em CD.

⭐⭐⭐⭐⭐

Madrugada was a progressive rock band formed in Bergamo, Italy,
in 1972 and composed of Gianfranco Pinto (keyboards, vocals),
Pietro Rapelli (percussion) and Alessandro "Billy" Zanelli (bass).

STORY

In 1972 Alessandro "Billy" Zanelli (I Fuchs, I Condor, Le Lunghe Storie and La Terza Classe), Gianfranco Pinto (Le Bugie and La Terza Classe) and Pietro Rapelli (Gruppo 3 and La Terza Classe) founded Madrugada. Under the production of Mauro Paoluzzi and Paki Canzi and supervised by Roberto Vecchioni, the band recorded two albums for Phonogram, with the record label Philips - the self-titled "Madrugada" in 1974 and "Incastro" in 1976 (in which the band had the collaboration of musicians such as Gianluigi Trovesi, Lucio Fabbri, Luciano Ninzatti, Gianni Bertocchi and Silvia Annichiarico).

In those years, Madrugada performed at progressive festivals and pop meetings and concerts with then-editor and alternative agency Trident Records by Angelo Carrara and Maurizio Salvadori and played at pop festivals, political events and factories along with Premiata Forneria MarconiBanco del Mutuo Soccorso, Edoardo Bennato, Franco Battiato, Eugenio Finardi, Opus Avantra, Alberto Camerini, JumboAktuala and others. Supporting the battle against abortion of Partito Radicale playing in the Palasport of Turin and Bologna, it performed several times at the headquarters of the alternative newspaper Re Nudo.

The band was successful on a three-way tour with Claudio Rocchi and Biglietto per l'Inferno and then, in the summer of 1974, toured with Area. The experience of the shows with Demetrio Stratos' band influenced the group's music that focused more on jazz-rock, determining a notable stylistic difference between the first and second album published. The band also performed with Kevin Ayers (one of the founders of the jazz-rock band Soft Machine) in Lugano, Switzerland.

Even before the release of "Incastro", Madrugada collaborated in the studio and on tour with singers such as Roberto Vecchioni, Adriano Pappalardo, Riccardo Cocciante, I Nuovi Angeli, Patty Pravo, Lucas Sideras (ex-Aphrodite's Child) and participated in the album by the band Pangea (1976 album "Invasori", reissued in 2007).

However, in 1977, with the advent of punk rock and the consequent extinction of the progressive wave, Madrugada finally dissolved. Zanelli (recorded an album with I Judas) and Rapelli left the music after a few years, while Pinto still continued the activity of musician, collaborating with many Italian and international artists, among them: Patty Pravo, Roberto Vecchioni, Adriano Pappalardo, Riccardo Fogli , Nothing, Orietta Berti, Shout !, The Soul Busters Band, Gianna Nannini, Brian Auger and, in the late 90's, with the progressive group Perdio. In 2006, the AMS/BTF label reissued the two albums with bonus CD tracks.

ALBUMS

Madrugada (1974)
01. Madrugada I
02. Camminar
03. Vieni nella strada
04. Uomo blu
05. D.M.T
06. Mandrax
07. Madrugada II
08. Uomo blu (live, bonus)
09. Mandrax (live, bonus)
10. Camminar (demo, bonus)
11. Reborn (2006, bonus)

Membros
Gianfranco Pinto - órgão Hammond,
cravo, piano Rhodes e Steinway, Moog, vocais
Alessandro "Billy" Zanelli - baixo, triângulo, Moog, voz
Pietro Rapelli - bateria, percussão, Moog, vocais
Convidado
Mauro Paoluzzi - violão

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Incastro (1977)
01. Romanzen
02. È triste il vento
03. Argon
04. Katmandu
05. Noter de Berghem
06. Hobbit

Membros
Gianfranco Pinto - teclados, vocais
Alessandro "BillyZanelli - baixo, voz
Pietro Rapelli - bateria, percussão, voz
Convidados
Lucio Fabbri - violino
Gianluigi Trovesi - sax
Gianni Bertocchi - flauta
Luciano Ninzatti - guitarras acústicas e elétricas
Silvia Annicchiarico - vocais

Mp3 320kbps and artworks: enjoy!

Link para o download dos 2 albums: enjoy!

Madrugada - Madrugada I - 1974
Madrugada - Mandrax - 1974
Madrugada - Romanzen - 1974
Madrugada - È triste il vento - 1974