Se voce tiver alguma sugestão e/ou reclamação, por favor, envie um e-mail para: progmusicparadise@gmail.com
If you have any suggestions and/or complaints, please send an email to: progmusicparadise@gmail.com

terça-feira, 9 de abril de 2019

Pop Mašina (Hard Progressive Rock {Iugoslávia})

A banda iugoslava Pop Mašina foi formada em Belgrado no início de 1972. Os membros originais da banda incluíam o baixista Robert Nemeček (ex-membro Dogovor Iz 1804, Džentlmeni, Intro), o guitarrista Zoran Božinović (ex-Exent, Rokeri, Džentlmeni, Intro), o baterista Ratislav Đelmaš e o guitarrista Sava Bojić. Até o final do ano, Boyic deixou o grupo, e Djelmasha substituiu Mikhailo Bata Popovic (Mihajlo "Bata" Popović) no posto, finalmente formando o triângulo criativo dos músicos, que mais tarde se tornou a formação mais famosa do grupo.
Pop Mašina foi um dos primeiros grupos da cena do rock iugoslavo que propositalmente mudou de Rhythm & Blues para um som mais pesado. Frequentemente organizavam concertos com entrada franca e, em 1972, organizaram um grande concerto gratuito no local de concertos Hajdučka Česma, no histórico parque florestal de Kosutnyak (aqui o príncipe sérvio Mikhailo Brenovich III foi morto durante uma caminhada em 1868). O parque está localizado a 6km a sudoeste do centro de Belgrado e é um popular local de descanso para os moradores da capital. O concerto também incluiu "From the Times on Time", "Porodnichna Manufactory Crnog Bread" e outros grupos iugoslavos.

No verão de 1973, o grupo cristalizou a idéia do álbum de estréia, que deveria ser um trabalho temático sobre o tema das drogas e das viagens psicodélicas. Os ativos do grupo já tinham, dois deles, “quarenta e cinco anos”, que, no entanto, passaram quase despercebidos, sem qualquer reação especial da imprensa e da televisão. No entanto, o problema mais importante para o grupo não foi este, mas o fato de que em Belgrado naquela época era praticamente impossível gravar um som de rock verdadeiramente inflexível, e sem isso a encarnação do conceito de disco concebido não era possível.
Pop Mašina fez várias tentativas para encontrar uma saída para o impasse, mas o resultado foi insatisfatório. O problema não era que o equipamento de gravação era imperfeito, mas o fato de que os engenheiros de som (principalmente pessoas mais velhas) eram completamente incompetentes em gravar música rock e não sentiam nada a não ser nojo por isso.
Na mesma época, a transmissão de concertos de rock gravados começou na estação de rádio RTV Studio B, a primeira empresa não-governamental de transmissão de música fundada por jornalistas do jornal Bresta em 1970. Embora essas gravações tenham sido feitas em equipamentos de gravação primitivos, elas pareciam muito próximas ao rock real, porque foram feitas por um entusiasta excepcional de seu trabalho, Aca Radojčić, que resultou em resultados muito melhores do que em estúdios “reais”. O grupo fez duas sessões de gravação com Radojčić, que até recentemente eram considerados perdidos. Durante essas amostras de som, o material musical para o futuro álbum passou pela execução necessária e estava quase pronto para ser fixado em mídia magnética profissional.


Logo, no Studio 10 da Radio Belgrade, começaram as sessões semanais de gravação de som da banda acústica “From the Times on Time”, na qual os músicos pop participavam como convidados. Durante um dos turnos de gravação, de repente, a gestão do PGP RTB (Produkcija gramofonskih ploča Rádio televisiva Beograd) não se opõe a gravação completa do álbum da banda neste estúdio, desde que fosse produzida um dos membros da equipe de rádio Belgrado. A escolha recaiu sobre Slobodan Petrovic (Slobodan Petrović), que já havia gravado principalmente composições acústicas, e para ele foi o primeiro contato com uma banda de rock.

De acordo com seus princípios ideológicos, o PGP alocou um estúdio para gravar uma transmissão não musical, onde nenhuma banda de rock havia gravado anteriormente, e limitou todo o processo a 20 horas de trabalho. A equipe se deparou com um dilema bastante complicado, considerando que apenas dois dias foram reservados para o registro: aceitar ou rejeitar tal oferta “atraente”? Pop Mašina, apesar do fato de que a missão era praticamente impossível, aceitou a proposta e começou a se preparar para a gravação do primeiro álbum de rock em Belgrado. Mas não era um disco simples, mas sim conceitual. O tema do álbum foi uma jornada mental sob a influência de alucinógenos, como o LSD. Portanto, a banda concordou entre si que o conceito do disco seria mantido em segredo e ninguém, exceto os músicos e o designer da capa do disco Yugoslav Vlahovic (Jugoslav Vlahović) deveriam saber sobre isso. Vlahovich literalmente em um dia fez a capa do álbum no estilo dos famosos retratos “acídicos” de The Beatles, mas manteve o segredo do manual até o último momento. A única cópia impressa da capa original do prato, iugoslavo, foi entregue a Robert Nemechek, com quem foi mantido por 35 anos e foi usado para reeditar o álbum em sua forma original em um CD.
O nome do disco “Kiselina” é uma tradução literal da palavra inglesa “acid” (ácido), que foi usada como uma gíria para o LSD (LSD-25, LSD, Lysersäure Diethylamid - d-lysergic diethylamide). Além disso, a palavra sérvia “put” (caminho) foi usada para designar o termo “viagem” e inicialmente foi assumido que a ordem das músicas e a série associativa de seus nomes corresponderiam a essa “jornada psicodélica” do começo ao fim. No entanto, se alguém da gerência do PGP RTB adivinhasse que havia um conceito de lisergina oculta no registro, todo o projeto estaria em perigo, e, portanto, os membros da banda teriam que abandonar alguns de seus planos originais para salvar seu primogênito de vinil.

Para uma conspiração mais profunda, a ordem das canções foi completamente invertida, o faixa Sjaj u očima foi retirado do registro e Svemirska priča foi adicionada, o que nada tem a ver com o resto do material alucinógeno do disco. "Jark/Kraj" foi reduzido para a metade, e "Slika iz prošlih dana" permaneceu inacabada devido ao fato de que o PGP RTB se recusou a estender a gravação por mais algumas horas para concluir o trabalho.
Quando a gravação já estava totalmente pronta para publicação, a diretoria da empresa decidiu congelar o lançamento do álbum até tempos melhores, já que os editores do RTB decidiram que “tal música não interessará a ninguém neste país”. Felizmente, a “empresa rival” de Zagreb, Yougoton, começou a vender discos de bandas de rock em grandes quantidades e as autoridades de vinil de Belgrado estalaram, mas mesmo assim deram permissão para liberar 2.500 cópias de Kiselina. Mas com economia de orçamento em todas as direções possíveis. 
O álbum foi lançado em um envelope simples sem reversão, as fotos de slides dos membros da banda na contracapa tornaram-se preto e branco, e o próprio disco é impresso no chamado vinil de refugo, ou seja, em cloreto de polivinila de baixa qualidade, que normalmente é produzido em gramas não aplicáveis. E por esse motivo, o som do álbum se mostrou incomparável com a qualidade das gravações originais.

Kiselina apareceu nos balcões das lojas de Belgrado em 30 de dezembro de 1973, e antes do final dos trabalhos em 31 de dezembro, toda a circulação de 2.500 cópias foi vendida, o que foi uma surpresa absoluta para o PGB RTB. A administração da empresa faz uma conclusão muito peculiar a partir desse fato: “é necessário ter cuidado com a questão do desenho de disco adicional, já que é impossível vender um número maior de cópias desse registro do que já foi vendido”. Em vez de se centrarem no lançamento da banda Pop Mašina, as autoridades de Belgrado estão a preparar rapidamente a produção dos álbuns Dag, Porodična Manufaktura Crnog Hleba, Dragoljubov Taksi e Srdjan Marjanović. Mas o fato é que eles foram vendidos muito pior do que Kiselina.

Após o lançamento do álbum, o grupo deu um grande número de concertos, incluindo o complexo esportivo e de concertos Palata Sportova, de Belgrado, que foi construído em 1968 e acomoda 7.000 espectadores. Pop Mašina lançou mais dois álbuns: o de estúdio Na izvoru svetlosti (1975) e o concerto Put ka suncu (1976), o último dos quais foi o primeiro disco de rock “ao vivo” iugoslavo gravado inteiramente por uma equipe. Anteriormente, por via de regra, álbuns ao vivo eram lançados, gravados em festivais com vários artistas, e antes deles apenas Korni Grupa lançou um álbum duplo Mrtvo more, que consistia em metade das gravações ao vivo, metade - de uma seleção de singles lançados anteriormente.

No final de 1976, houve uma divisão criativa no grupo, o que levou Zoran Bozhinovich a formatar completamente a composição do grupo. Para este efeito, recrutou o baixista Dušan "Duda" Petrović), o baterista Dušan Djukić (Dušan "Đuka" Đukić) e o seu irmão Vidoja Božinović para o papel de guitarrista. Eles tentaram mudar o estilo, movendo-se pelo território musical do jazz-rock mas, após o lançamento de um single absolutamente mal sucedido, o grupo reformado finalmente desmoronou no final de 1977.

Robert Nemechek e seus irmãos Bozhinovici criaram uma nova formação no início dos anos 80 chamada Rok Mašina, mas não causou ressurgimento nas paradas, já que o ponto alto da Iugoslávia era uma nova hora para grupos e em 1982 a Rok Mašina silenciosamente e indolormente se separou, deixando para trás dois discos de estúdio.

⭐⭐⭐⭐⭐

Pop Mašina was formed in Belgrade in early 1972. Original members of the band included bassist Robert Nemeček (former member Dogovor Iz 1804, Džentlmeni, Intro), guitarist Zoran Božinović (ex-Exent, Rokeri, Džentlmeni, Intro), drummer Ratislav Đelmaš and guitarist Sava Bojić. By the end of the year, Boyic left the group, and Djelmasha replaced Mikhailo Bata Popovic (Mihajlo "Bata" Popović) at the station, eventually forming the creative triangle of the musicians, which later became the group's most famous lineup.

Pop Mašina was one of the first groups on the Yugoslavian rock scene that purposefully changed from Rhythm & amp; Blues for heavier sound. They often organized free-standing concerts and in 1972 organized a large free concert at the Hajdučka Česma concert venue in the historic Kosutnyak forest park (here Serbian prince Mikhailo Brenovich III was killed during a walk in 1868). The park is located 6km southwest of the center of Belgrade and is a popular resting place for the residents of the capital. The concert also included From the Times onTime, Porodnichna Manufactory Crnog Bread and other Yugoslav groups.

In the summer of 1973, the group crystallized the idea of ​​the debut album, which should be a thematic work on the subject of drugs and psychedelic travel. The assets of the group already had, two of them, "forty-five years", which, however, went almost unnoticed, without any special reaction from the press and television. However, the most important problem for the group was not this, but the fact that in Belgrade at that time it was practically impossible to record a truly inflexible rock sound, and without that the incarnation of the concept of disc designed was not possible.

Pop Mašina made several attempts to find a way out of the impasse, but the result was unsatisfactory. The problem was not that the recording equipment was flawed, but the fact that sound engineers (mostly older people) were completely incompetent in recording rock music and felt nothing but disgust at it.
At the same time, the broadcast of recorded rock concerts began at the RTV Studio B radio station, the first non-governmental music broadcasting company founded by Brest journalists in 1970. Although these recordings were made on primitive recording equipment , they seemed very close to real rock because they were made by an exceptional enthusiast of his work, Aca Radojčić, which resulted in much better results than in "real" studios. The group did two recording sessions with Radojčić, who until recently were considered lost. During these sound samples, the musical material for the future album went through the necessary execution and was almost ready to be fixed on professional magnetic media.

Soon, in Studio 10 of Radio Belgrade, the weekly sound recording sessions of the acoustic band "From the Times on Time" began, in which pop musicians participated as guests. During one of the recording shifts, suddenly the management of the PGP RTB (Produkcija gramofonskih ploča Beograd Television Radio) does not preclude the complete recording of the band's album in this studio, provided one of the members of the Belgrade radio team was produced. The choice fell on Slobodan Petrovic (Slobodan Petrović), who had already recorded mostly acoustic compositions, and for him was the first contact with a rock band.

According to its ideological principles, PGP allocated a studio to record a non-musical broadcast, where no rock band had previously recorded, and limited the entire process to 20 hours of work. The team faced a rather complicated dilemma, considering that only two days were reserved for registration: accept or reject such an "attractive" offer? Pop Mašina, despite the fact that the mission was virtually impossible, accepted the proposal and began to prepare for the recording of the first rock album in Belgrade. But it was not a simple record, but a conceptual one. The album's theme was a mental journey under the influence of hallucinogens, such as LSD. So the band agreed that the concept of the record would be kept secret and no one but the musicians and the cover designer Yugoslav Vlahovic (Jugoslav Vlahović) should know about it. Vlahovich literally one day made the cover of the album in the style of the famous "acidic" portraits of The Beatles, but kept the manual secret until the last moment. The only printed copy of the original cover of the Yugoslavian dish was delivered to Robert Nemechek, with whom it was kept for 35 years and was used to republish the album in its original form on a CD.

The name of the album "Kiselina" is a literal translation of the English word "acid", which was used as a slang for LSD (LSD-25, LSD, Lysersäure Diethylamid-d-lysergic diethylamide). In addition, the Serbian word "put" was used to designate the term "trip" and it was initially assumed that the order of the songs and the associative series of their names would correspond to this "psychedelic journey" from beginning to end. However, if someone from the management of the PGP RTB guessed that there was a concept of lisergin hidden in the record, the whole project would be in danger, and therefore band members would have to abandon some of their original plans to save their firstborn vinyl .

For a deeper conspiracy, the order of the songs was completely reversed, the track Sjaj u očima was removed from the record and Svemirska priča was added, which has nothing to do with the rest of the hallucinogenic material on the record. "Jark/Kraj" was halved, and "Slika iz prošlih dana" remained unfinished due to the fact that PGP RTB refused to extend the recording for a few more hours to complete the work.
When the recording was fully ready for publication, the company's board decided to freeze the album's release until better times, as RTB editors decided that "such music will not interest anyone in this country." Fortunately, Zagreb's "rival company" Yougoton began selling rock bands in large numbers and Belgrade's vinyl authorities popped up, but they were still allowed to release 2,500 copies of Kiselina. But with budget savings in all directions possible.

The album was released in a simple envelope with no reversion, slides photos of the band members on the back cover became black and white, and the disc itself is printed on the so-called scrap vinyl, ie low quality polyvinyl chloride , which is normally produced in grams not applicable. And for that reason, the sound of the album proved to be incomparable with the quality of the original recordings.

Kiselina appeared at the Belgrade shop counters on December 30, 1973, and before the end of work on December 31, the entire circulation of 2,500 copies was sold, which was an absolute surprise for the PGB RTB. The management of the company makes a very peculiar conclusion from this fact: "you have to be careful with the issue of the additional disk design, since it is impossible to sell a larger number of copies of this record than has already been sold." Instead of focusing on the release of the band Pop Mašina, the authorities in Belgrade are quickly preparing the production of the Dag, Porodična Manufaktura Crnog Hleba, Dragoljubov Taksi and Srdjan Marjanović albums. But the fact is that they were sold far worse than Kiselina.
After the album's release, the group gave a large number of concerts, including Belgrade's sports and concert complex Palata Sportova, which was built in 1968 and seats 7,000 spectators. Pop Mašina released two more albums: the studio Na izvoru svetlosti (1975) and the concert Put ka suncu (1976), the last of which was the first Yugoslavian "live" rock record recorded entirely by a team. Previously, as a rule, live albums were released, recorded at festivals with various artists, and before them only Korni Grupa released a double album Mrtvo more, which consisted of half of the live recordings, half - of a selection of singles released previously.

At the end of 1976, there was a creative split in the group, which led Zoran Bozhinovich to completely shape the group's composition. To this end, he recruited bassist Dušan "Duda" Petrović), drummer Dušan Djukić (Dušan "Đuka" Đukić) and his brother Vidoja Božinović for the role of guitarist. They tried to change the style, moving through the jazz-rock music territory, but after the release of an absolutely unsuccessful single, the reformed group finally collapsed in late 1977.

Robert Nemechek and his brothers Bozhinovici created a new formation in the early 80's called Rok Mašina, but did not cause a resurgence in the charts, since the high point of Yugoslavia was a new time for groups and in 1982 Rok Mašina silently and painfully parted, leaving behind two studio albums.

Members
Zoran Bozinovic - guitarra, voz
Robert Nemecek - baixo, guitarra acústica, voz
Mihajlo Popovic - bateria, percussão


ALBUMS

Kiselina (1973)
01. Put ka suncu
02. Na drumu za haos
03. Pesma srećne noći
04. Mir
05. Kiselina
06. Sjaj u očima
07. Tražim put
08. Povratak zvezdama
09. Svemirska priča
10. Slika iz prošlih dana

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Na izvoru svetlosti (1975)
01. Vreme za naš
02.Negde daleko
03.Rekvijem za prijatelja
04.Sećanja
05.Na izvoru
06.Zemlja svetlosti
07.Kraj li

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Link para o download dos 2 albums: enjoy!

Pop MašinaTražim put - 1973

Pop Mašina - Kiselina - 1973

Pop Mašina - Rekvijem za prijatelja - 1975

Nenhum comentário: