Se você tiver alguma reclamação e/ou sugestão, por favor, envie um e-mail para: progmusicparadise@gmail.com
If you have any complaints and/or suggestions, please send an e-mail to: progmusicparadise@gmail.com

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Lagger Blues Machine - Lagger Blues Machine (1970-1972) - 2012 (Prog Psych Jazz Rock {Bélgica})

Uma das bandas mais difíceis de categorizar do início dos anos 70 foi a interessante Lagger Blues Machine de Bruxelas, com sede na Bélgica, fundada em 1970 pelos irmãos Christian Duponchell (órgão) e Jean-Luc Duponcheel (bateria), juntamente com Jose Cuisset (guitarra) e Michael Maes (baixo). Essa formação inicial estava firmemente enraizada no mundo psicodélico pesado dos anos 60, com alguns toques proto-prog, mas era basicamente uma banda de jam em uma forma livre crua que excursionou extensivamente com seu show mais famoso, tendo sido um festival de Bruxelas em outubro de 1970, onde eles tocaram com Warhorse e Wishbone Ash. Este também foi o show que foi gravado e posteriormente lançado como um álbum ao vivo de arquivo.

Em 1971, quando Vincent Mottoulle (órgãos) e Carmelo Pilotta (flauta, saxofone) se juntaram à banda, o foco mudou para um som de rock progressivo mais rico.

Depois de vários anos de turnê intensiva, a banda foi notada pelos registros da CBS, quando se tornaram uma das bandas mais importantes da Bélgica e, finalmente, no ano de 1972, eles gravaram e lançaram seu único álbum de estúdio, que tinha o mesmo nome. Enquanto a brevidade não era o objetivo deles, com quatro das cinco faixas perto da marca dos sete minutos até as quatorze, no passeio indiferente pela progosfera, a Lagger Blues Machine conseguiu desviar muitos desvios em várias faixas, não apenas do prog, mas também do rock mais pesado , blues, jazz puro e psicodelia mais destacada.

Descrita como jazz-rock sinfônico, a Lagger Blues Machine é aberta com uma mistura única de ataques de órgãos hipnóticos, aprimorados por sons assustadores de flauta, percursos de jazz de vanguarda e acompanhamentos percussivos bem adaptados. A interação instrumental é a característica mais forte desta banda, onde nenhum músico rouba o show, mas contribui para uma maior soma das partes.

Esta é a versão do selo Veals & Geeks (2012) do lançamento de 1994 da Mellow Records ("The complete works", MMP 217, Itália) que une os álbums "Lagger Blues Machine" (aka "Tanit", 1972) e "Lagger Blues Machine live" (aka "Tanit live", 1988): este último, um show gravado em 31 de outubro de 1970 no Woluwe Shopping Center, em Bruxelas.

⭐⭐⭐⭐⭐

One of the harder to categorize bands of the early 70s was the interesting Belgium based Lagger Blues Machine from Brussels which was founded in 1970 by brothers Christian Duponchell (organ) and Jean-Luc Duponcheel (drums) along with Jose Cuisset (guitars) and Michael Maes (bass). This early lineup was firmly rooted in the heavy psychedelic world of the 60s with some proto-prog touches but it was basically a jam band in a raw free-form that toured extensively with its most famous gig having been a Brussels festival in October 1970 where they played with Warhorse and Wishbone Ash. This was also the gig which was recorded and later released as an archival live album.

In 1971 when Vincent Mottoulle (organs) and Carmelo Pilotta (flute, saxophone) joined the band, the focus shifted to a richer progressive rock sound.

After several years of intensive touring the band was noticed by CBS records as they became one of Belgium's most important bands and finally in the year of 1972 they recorded and released their sole studio album which was eponymously titled. While brevity wasn't their goal with four of the five tracks near the seven minute mark all the way to the fourteen, in the nonchalant stroll through the progosphere, Lagger Blues Machine managed to take many detours into various strains of not only prog but heavierrock, blues, pure jazz and more detached psychedelia.

Described as symphonic jazz-rock, Lagger Blues Machine opens with a unique mix of twin hypnotic organ attacks enhanced by spooky flute sounds, avant-jazz sax runs and well adapted percussive accompaniments. The instrumental interplay is the strongest feature of this band where no musician steals the show but rather contributes to a greater sum of the parts.

This is the Veals & Geeks label version (2012) of the 1994 release of Mellow Records ("The complete works", MMP 217, Italy) that unites the albums "Lagger Blues Machine" (aka "Tanit", 1972) and "Lagger Blues Machine live" "(aka "Tanit live", 1988): the latter, a show recorded on October 31, 1970 at the Woluwe Shopping Center in Brussels.

Membros
Christian Duponcheel - órgãos
Jean-Luc Duponcheel - bateria
Jose Cuisset - guitarra
Michel Maes - baixo
Vincent Mottouille - órgãos
Carmelo Pilotta - saxofone, flauta

Tanit
01. Symphonie 1ère partie
02. Darknessly
03. Tanit
04. Symphonie 2ère partie
05. Born to be alone on a white desert island
Tanit live
06. Test about a rehabilitating personality
07. Ode
08. Mistake
09. Firedance

Mp3 320kbps and full artworks: enjoy!

Lagger Blues Machine - Lagger Blues Machine (1970-1972) - 2012 (full album)

Nenhum comentário: